segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Ato Pelos Guarani-Kaiowá foi Internacional


Ato em São Paulo

Mais de 50 cidades em todo país além de outras fora dele realizaram, a maioria a partir das 17:00 horas do dia 9 de Novembro, encheram-se de militantes, estudantes, trabalhadores e índios de verdade para denunciar o crime cometido pelo agronegócio contra as populações indígenas, e mais especificamente naquele momento pelos Guarani-Kaiowá, como havia sido previsto (ver texto Nota sobre o caso Guarani-Kaiowá e a situação indígena no país).


Ato na Alemanha

Pintando seus rostos, erguendo cartazes e bradando gritos de guerra, as ruas foram tomadas para que um diálogo fosse estabelecido com a sociedade e para chamar a imprensa a fim de fazer a população exigir dos governantes a demarcação as terras dos Guarani-Kaiowá e das demais comunidades indígenas.





 Ato em Brasília

 Como aponta o Comitê de Solidariedade aos Guarani Kaiowá, “Dentre os maiores inimigos está o agronegócio, cuja face mais nefasta é a monocultura de cana-de-açúcar e soja, além da pecuária extensiva. É neo-desenvolvimentista capitalista devastando nossa terra. Nesse sentido, contribuem para o massacre no Mato Grosso do Sul, não só fazendeiros, mas também o Governo Federal, comprometido com o capital e as instituições cúmplices, destaque para a omissão da Funai”


Ato em Curitiba

Eles possuem uma campanha de arrecadação de alimentos e contribuição em dinheiro para a população guarani-kaiowá que estão em acampamentos e sitiados por pistoleiros (milicia) contratados pelos fazendeiros.

Ato em São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário